segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Troca de casais

Era sábado. Depois do almoço. O celular tocou.
– Oi, há quanto tempo! Tudo bom? Claro, vamos sim, que horas, onde?
Na hora combinada lá estava ela, saia de couro preta, blusa também preta, sapato alto, não tinha muita certeza de onde iriam. Na verdade ele não disse. Só a convidou para sair, beber alguma coisa, barzinho, ela pensou. Achou estranho, ele era casado, mas nunca se sabe. O papo começou truncado, estranho, tinha duas propostas para fazer: uma decente e outra indecente, palavras dele. Ela quis ouvir a decente primeiro. Sairiam dali, iriam a um motel e resolveriam aquela questão que ele sabia existir, tesão mesmo, vamos falar francamente. A indecente era conhecer um lugar que ele tinha muita curiosidade de ir, mas sua mulher pediria a separação se ele a convidasse. Ela é uma moça conservadora. A esta altura da conversa, quem estava curiosíssima era ela. Que lugar seria esse afinal. Então ele revelou seu desejo. Conhecer um Clube de Swing!
Ela ficou calada uns instantes, surpresa, ele a pegou desprevenida! Era o tipo de lugar que ela não tinha a menor curiosidade de conhecer, mas depois que ele falou que ela seria a única pessoa que entenderia e concordaria em ir, e tudo que ele esperava e tinha curiosidade de ver, ela concordou. Vamos lá, ver com nossos próprios olhos o que acontece num clube desse tipo. Será que vamos trocar? E lá foram eles, morrendo de rir com a própria coragem e ousadia!
Não trocaram, mas se divertiram a valer naquele lugar incrivelmente diferente de tudo que já tinham ido antes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário