domingo, 28 de outubro de 2012

É estranho voltar ao bairro que se morou há anos atrás...quando eu era menina, na década de 1950, morei no Grajaú, na rua Caruaru, lá no final. Morava no morro atrás do meu prédio, um senhor, seu Torto, que criava cabras e elas andavam pelas ruas do bairro, livres durante o dia e no final da tarde, seu Torto vinha buscando uma por uma pra levar pra casa. Tenho também a lembrança de ter subido naquele pico que fica na reserva, um marco no bairro...hoje estive numa casa que fica bem de frente pra ele, lindo demais. Depois já adulta e com filho, fui morar na rua Campinas, com sua praça Nobel, na década de 1980. Hoje a praça está cercada, e tinha uma banda de rock tocando lá...fiquei lembrando dos meus passos naquelas calçadas, empurrando carrinho de bebê, indo à feira, visitando as amigas, conversando com as vizinhas, passeando com o cachorro numa volta ao passado que me parece tão distante, tão eu era feliz e sabia...foi bom, rever as casas que continuam iguais, o velho 422 e fiquei me perguntando se realmente fui eu que vivi aquela vida ou foi uma vida que me contaram. Sábado. 27/10/12